segunda-feira, 23 de junho de 2014

Angelo

  Infelizmente, partiu daqui muito cedo para sabermos mais a respeito dele. Não sabemos e nem saberemos muitas coisas, não saberemos se faria faculdade, não saberemos suas cores, gostos e cheiros favoritos, tão pouco seu time de futebol ou se andaria de skate conosco.
  É verdade, não veremos ficar vermelho ao beber conosco a primeira cerveja, nem saberemos ao menos o timbre de sua voz, partiu muito cedo para falar palavras, mas existe uma coisa que creio que possamos acreditar: saber o que diria com o coração se pudesse.
  Se o Angelo pudesse pedir para um anjo falar uma última mensagem, acho que diria que de todos os esforços os quais podemos fazer por ele agora, ou melhor, que seus pais poderiam fazer, é o esforço de seguir em frente.
  Acredito que essa seria a mensagem porque ninguém que ama deseja o mal, ao contrário, queremos a felicidade de quem amamos e é isso que creio que ele deseja a vocês todos os dias de vossa existência.
  Ele os ama porque sabe o quanto vocês amam, o amor não pode ser escondido, é espontâneo, é contagiante, ele transborda e se transforma em beijos, abraços, carinho, cuidado, ternura, solidariedade e uma infinidade de gestos os quais não há dúvidas que vocês deram.
  Portanto sua passagem nessa terra não deve ser para lembranças sofridas, nem para sentir culpa ou remorso, deve ser para felicidade, porque nós temos a ilusão de que sua vida foi curta, e esquecemos do quão breve é nossa própria existência para que seja infeliz. Façamos de cada segundo uma eternidade de coisas boas, o Angelo fez isso, aprendemos com ele.

 Para Felipe Hideo de Souza e Família
De: Gustavo Henrique Otsuka da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário